Fique10


Alimentos tem virtudes by Ariana Dêgelo
outubro 22, 2008, 1:40 pm
Filed under: Alimentação | Tags: ,

Os alimentos têm suas virtudes e seus inconvenientes, estes últimos devido, freqüentemente, ao excesso. Cada indivíduo reage de modo diferente, de acordo com a idade, o sexo, o estado de saúde e o estilo de vida.

CAFÉ:

– Benefício: Segundo estudos recentes, grandes consumidores de café correm menos riscos de ter cálculos
biliares.
– Malefício: Por ser adstringente, aumenta o risco de osteoporose nas mulheres.

PEIXE:

– Benefício: O óleo de peixe estabiliza o ritmo cardíaco e fluidifica o sangue, reduzindo o risco de infarto.

– Malefício: A maior fluidez do sangue aumenta o risco de hemorragia, eventualmente , de hemorragia cerebral.

VINHO, CERVEJA:

– Benefício: Vinho moderadamente tem efeito cardio-protetor. A cerveja é menos eficaz.
– Malefício: Vinho, cerveja, destilados em geral, consumidos em excesso provocam doenças, entre elas a mais
grave, a cirrose do fígado.

CARNE VERMELHA:

– Benefício: Como contém ferro, previne anemia.
– Malefício: Se contiver muita gordura, aumenta o risco de câncer e de infarto.

FÍGADO:

– Benefício: A vitamina A contida no fígado é importante para a saúde ocular.
– Malefício: Mulheres grávidas devem consumi-lo moderadamente. A hipervitaminose pode provocar más formações
fetais.

CHOCOLATE:

– Benefício: Contém substâncias fitoquímicas capazes de diminuir o risco de câncer e de acidente
cardiovascular.
– Malefício: Se contiver muita gordura e pouco cacau, pode ser nocivo para o coração e para a circulação.

LEITE:

– Benefício: Fonte de cálcio e de vitamina D, o leite é importante para os ossos e para a dentição.
– Malefício: Contém ácido graxo saturados que aumentam o risco de infarto.

GORDURAS:

– Benefício: Certos ácidos graxos polissaturados são necessários para o desenvolvimento cerebral e ocular.
– Malefício: O abuso de gorduras pode provocar acidentes cardiovasculares, câncer e obesidade.

Fonte: Latin Med

Anúncios


Os Benefícios da Isoflavona da Soja na Saúde by Ariana Dêgelo
outubro 22, 2008, 1:38 pm
Filed under: Alimentação | Tags: ,

Dra. Viviani Ruffo de Oliveira

A soja vem sendo utilizada atualmente como alimento humano, devido ao seu elevado teor protéico e também por possuir em sua composição compostos como as isoflavonas. As isoflavonas são fitoestrógenos (hormônios vegetais) que estão amplamente distribuídas no reino vegetal, principalmente entre as leguminosas.

Os teores de isoflavonas e suas diferentes formas (genisteína, daidzeína e liciteína), variam de acordo com as condições climáticas e de cultivar da soja. Suas concentrações são determinadas geneticamente e são afetadas por fatores ambientais e pela temperatura.

Evidências científicas vêm demonstrando que as isoflavonas podem trazer benefícios no controle de doenças como câncer, diabetes, osteoporose, doenças cardiovasculares, no tratamento da doença de Alzheimer, nos sintomas da tensão pré-menstrual e da menopausa.

Estudos experimentais e epidemiológicos têm demonstrando grandes benefícios à saúde humana, conseguidos através de uma alimentação com esta rica eguminosa, que já foi chamada de grão mágico.

Acredita-se que a soja tenha atingido o ocidente por volta do século XVI, porém somente no ano de 1882 se tem referência sobre a soja no Brasil, sendo o relato de seu primeiro cultivo no Estado da Bahia, mas o aumento de sua utilização apenas aconteceu nos anos 70, com o interesse crescente da indústria de óleo e a demanda do mercado internacional.

Sua composição nutricional a torna um alimento altamente nutritivo: 35 a 45 % de proteína, 25 a 30% de materiais feculentos, 18 a 20 % de lipídios, 5% de minerais e 10% de água. Vale ressaltar que nela são encontrados aminoácidos semelhantes aos de origem animal, como: arginina, cistina, histidina, isoleucina, leucina, lisina,
metionina, fenilalanina, treonina, triptofano e valina.

Inicialmente a soja era apenas utilizada como alimento animal, porém atualmente esta leguminosa vem sendo mais utilizada na alimentação humana, devido ao seu elevado teor protéico e também por possuir em sua composição compostos polifenólicos como as isoflavonas.

Este artigo apresenta várias pesquisas realizadas com isoflavonas.

Fonte: http://www.nutricaoempauta.com.br/



Soja by Ariana Dêgelo
outubro 22, 2008, 1:35 pm
Filed under: Alimentação | Tags: , ,

SOJA – Descrição
A Soja (Glycine Max) é uma planta da família das leguminosas, nativa do leste asiático. Esta leguminosa tem sido uma importante fonte de proteína para milhares de pessoas no Oriente durante milhares de anos. O potencial da soja com alimento funcional já está bem estabelecido desde o início da década de 90. Além da alta qualidade protéica e das fibras sabe-se que a soja apresenta uma ação preventiva e/ou terapêutica em uma série de doenças.

O extrato concentrado de isoflavonas

O extrato concentrado de isoflavonas da soja é obtido a partir do grão de soja através de um processo de separação e concentração das isoflavonas contidas naturalmente na soja, resultando em uma concentração superior das formas ativas, o que garante um teor adequado para que se obtenha a atividade desejada.

Benefícios do extrato concentrado de isoflavonas

O extrato de isoflavonas da soja possui ação estrogênica moderada, atuando na prevenção de alguns tipos de câncer e doenças cardiovasculares, reduz o colesterol, auxilia na prevenção da osteoporose e alivia os desagradáveis sintomas da menopausa. Além disso, alguns dos seus componentes atuam como potentes antioxidantes que combatem os radicais livres no organismo. Pesquisas realizadas no Japão, Estados Unidos e Europa mostram que a ingestão diária de isoflavonas da soja (aproximadamente 40/50 mg) pode reduzir os riscos de câncer de mama e próstata em até 50%.

Pesquisas
Nos últimos anos, a soja e seus constituintes têm atraído bastante a atenção da comunidade científica e de especialistas da área de saúde, principalmente pelo fato de dados de estudos epidemiológicos realizados com populações asiáticas, que consumem soja com freqüência, mostrarem baixas taxas de ocorrência de certos tipos de câncer, incluindo o câncer de mama, próstata e cólon, despertando o interesse na soja como sendo o principal fator que contribui para esse quadro. Numerosos estudos epidemiológicos, estudos clínicos com humanos, com animais e laboratoriais (In vitro) tem demonstrado que as isoflavonas da soja possuem atividades quimiopreventivas eficazes para alguns tipos de câncer. Algumas evidências também apontam para benefícios das isoflavonas na prevenção de doenças cardiovasculares e na atuação sobre a inibição do fator de agregação plaquetária. Esses compostos atuam ainda elevando o colesterol HDL e reduzindo os triglicerídeos e o colesterol total.

* Dr. Alexandre C. Craveiro
Doutor em Química Orgânica.

AS ISOFLAVONAS DA SOJA

As isoflavonas são compostos que possuem uma estrutura muito similar aos hormônios naturais femininos e possuem atividades estrogênica e anti-estrogênica competindo no organismo com estrógenos de ocorrência natural
mais potentes (hormônio sexual estradiol) através de ligação com receptores de estrógeno. Este fato apresenta importantes implicações na redução do risco de câncer de mama.  Em estudos epidemiológicos realizados com populações do sudeste da Ásia, as evidências indicam que as mulheres que consomem altas quantidades de soja (10-50 gramas/dia) apresentam de 4 a 6 vezes redução no risco de câncer de mama quando comparadas com mulheres americanas que normalmente ingerem quantidades desprezíveis deste legume (1-3 gramas/dia).

Acredita-se que as isoflavonas presentes na soja sejam as responsáveis por grande parte dos benefícios atribuídos ao consumo de produtos à base de soja, principalmente três isoflavonas denominadas Genisteína, Daidzeína e Gliceteína, que agem como fitoestrógenos (hormônios vegetais) na soja, das quais as duas primeiras são predominantes. A soja contém ainda Genistina e Daidzina, que são isoflavonas ligadas a moléculas de açúcar.
Durante a digestão, as bactérias intestinais quebram as ligações entre as isoflavonas e os açúcares, liberando mais Genisteína e Daidzeína no organismo. Os pesquisadores sugerem que as isoflavonas da soja atuam através de quatro mecanismos distintos: como estrógenos fracos; como inibidores da atividade de enzimas cancerígenas; como antioxidantes e como estimuladores do sistema imunológico.

Muitos tumores, especialmente em câncer de mama, são sensíveis aos níveis de estrógeno de modo que o crescimento do tumor é estimulado em resposta ao acoplamento da molécula de estrógeno nos sítios receptores celulares. O Tamoxifen, uma droga utilizada no tratamento de câncer de mama, é similar às isoflavonas na estrutura química e na ação. Estudos experimentais em animais e células cancerosas in vitro demonstraram que a Genisteína e a Daidzeína são extremamente eficientes na inibição de tumores mamários. As isoflavonas atuam não somente ocupando os receptores de estrógenos, mas por outros mecanismos ainda não entendidos. Pesquisadores da área entendem que a atividade anti-câncer das isoflavonas da soja pode não estar limitada a tumores dependentes dos níveis de estrógeno.

Fonte: http://www.polymar.com.br/saude/s_isoflavonas.php



Iogurte, fonte de saúde by Ariana Dêgelo
outubro 22, 2008, 1:31 pm
Filed under: Alimentação | Tags: , ,

O iogurte é produzido a partir da cultura mista dos microorganismos Streptococcus thermophilus e Lactobacillus bulgaricus. Essas bactérias consomem a lactose, o açúcar do leite, para obterem energia e em contrapartida
eliminam o ácido láctico que coalha o leite. O leite coalhado preserva os nutrientes do leite puro, mas com bem menos lactose, sendo então um alimento de mais fácil digestão quando comparado ao leite.

Aliado da Saúde, Beleza e Bem Estar, os iogurtes são importantes fontes de Proteínas, Cálcio, Zinco, Vitaminas A e do Complexo B.

5 motivos para você incluir já o Iogurte na sua dieta.

1. Renova e constrói os tecidos do corpo
As proteínas são necessárias na construção, reparação e renovação dos tecidos do corpo, incluindo pele, unhas e cabelos. Elas também participam da produção de anticorpos, hormonas e enzimas de grande importância no metabolismo.

2. Fortalece os ossos, as contracções musculares e o Sistema Nervoso
O cálcio é um mineral fundamental na formação e manutenção dos ossos, dentes e unhas, além de participar das contracções musculares e comunicação das células do Sistema Nervoso.

3. Reforça o Sistema Imunológico e Retarda o envelhecimento
O zinco aumenta a acção de enzimas que combatem os radicais livres, fortalece o sistema imunológico, retarda o envelhecimento e favorece o crescimento e fortalecimento dos cabelos.

4. Trata da saúde da pele, da visão e dos cabelos
A vitamina A tem papel fundamental na saúde da visão e da pele. É uma vitamina que restaura e constrói novos tecidos, auxilia no tratamento de abcessos, furúnculos, acne e queda de cabelos.

5. Participa da produção de energia e oxigenação das células
As vitaminas do complexo B participam do metabolismo de proteínas, lipídos e carbohidratos, têm papel importante na produção de energia, oxigenação das células, produção de neurotransmissores e funções neurológicas normais.

Fonte: 3fitness.com



Falta de vitamina A precipita morte de 20 mil crianças no Brasil, diz estudo by Ariana Dêgelo
outubro 22, 2008, 1:29 pm
Filed under: Alimentação | Tags: , ,

A falta de vitamina A precipita anualmente a morte de 20 mil crianças no Brasil, de acordo com pesquisa realizada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e pela Iniciativa por Micronutrientes (MI, na sigla em inglês).

O estudo, divulgado durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, avalia o impacto que a deficiência de vitaminas e sais minerais na alimentação causa no Produto Interno Bruto (PIB) dos países mais afetados.
A pesquisa sugere que o problema pode provocar perdas de mais de 2% do PIB.
De acordo com a pesquisa, as nações com perdas superiores a 2% são o Afeganistão, Angola, Burkina Faso, Mali e o Niger.
O Brasil aparece na listagem com deficiências significativas de ferro em crianças com menos de 5 anos (45%) e em mulheres de 15 a 49 anos (21%) e 880 mortes por ano em decorrência de anemia severa. A pesquisa não inclui, no entanto, uma avaliação do impacto do problema no PIB brasileiro.
O estudo diz ainda que deficiências no suprimento de iodo no Brasil provocam o nascimento de 280 mil pessoas por ano com deficiência mental.

Problemas
No mundo todo, a falta de iodo estaria provocando o nascimento de 20 milhões de crianças por ano com deficiência mental.
Segundo a pesquisa, 40% das crianças no mundo subdesenvolvido e em desenvolvimento têm os sistemas imunológicos debilitados pela falta de vitamina A, que causa um milhão de mortes anuais.
O estudo calcula que outras 50 mil mulheres por ano morrem devido à deficiência de ferro durante o parto. “A falta de vitaminas e minerais afeta um terço da população mundial, debilitando mentes, corpos e a perspectiva de crescimento de nações”, diz o estudo.

Soluções
Os autores do estudo lembram que a Assembléia Geral da ONU já havia estabelecido em maio de 2002 algumas metas nesta área:
•    eliminação da deficiência de iodo até 2005;
•    eliminação da deficiência de vitamina A até 2010;
•    e redução de 30% dos casos de anemia por deficiência de ferro até 2010.
O estudo propõe uma ampla campanha de adição de vitaminas e sais minerais na alimentação dos países pobres, além do fornecimento de tabletes com estes elementos a grupos mais vulneráveis, como mulheres e crianças.
O plano também inclui campanhas educativas e de prevenção de doenças – como a malária e a diarréia – que impedem a absorção das vitaminas.
Segundo cálculos da Gain – uma fundação associada à MI que estuda projetos no setor – o fortalecimento da farinha de trigo nos 75 países mais necessitados com ferro e ácido fólico custaria US$ 85 milhões, ou quatro centavos de dólar por pessoa.
A entidade diz que a medida poderia reduzir a deficiência de ferro em 10% e diminuir em um terço as deficiências congênitas, além de aumentar a produtividade destes países em US$ 240 milhões e a renda em US$ 200 milhões.
“Quando tanto pode ser feito para tantos e por tão pouco, seria uma desgraça global se a deficiência de vitaminas e minerais não for controlada nos próximos anos”, conclui o relatório.

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/



Pesquisa diz que falta de carboidrato pode causar mau humor by Ariana Dêgelo
outubro 22, 2008, 1:26 pm
Filed under: Alimentação | Tags: ,

A dieta de Atkins e outras que limitam o consumo de carboidrato podem causar mau humor, segundo pesquisa.

Cientistas do MIT, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts, descobriram que o carboidrato ajuda a estimular a produção de uma substância-chave do cérebro chamada serotonina. Ela controla as emoções das pessoas, e sua falta pode levar a mudanças de humor e depressão.
A dieta de Atkins se tornou popular mundialmente, apesar das preocupações sobre seu efeito na saúde. Alguns especialistas dizem que ela pode causar diabetes e problemas de rim no longo prazo.

Apetite
“Quando a serotonina é produzida e se torna ativa no cérebro, ela produz um sentimento de estar satisfeito mesmo antes de o estômago estar estufado”, diz a pesquisadora Judith Wurtman.
“Mas a serotonina não é importante somente para controlar o apetite e impedir que as pessoas comam mais do que devem. Ela é uma substância essencial para regular o humor.”
Medicamentos antidepressivos são prescritos para manter a serotonina mais ativa no cérebro e estender sua atividade por um longo período de tempo, para que ela ajude a regular o humor.
E como o carboidrato aumenta os níveis de serotonina naturalmente, ele efetivamente atua como um tranqüilizante natural.

Combinação
O consumo de carboidrato deve ser acompanhado por pouca ou nenhuma proteína. Portanto, um prato de macarrão estimula o cérebro a produzir serotonina, mas um prato de frango com batatas impede que a substância seja produzida.
A falta de carboidrato pode ter um efeito maior nas mulheres, já que elas possuem menos serotonina no cérebro do que os homens. “Tirar o carboidrato da dieta é o mesmo que tirar água de alguém que está caminhando no deserto”, diz Wurtman.

Segundo a cientista, quando o humor é alterado pela falta de carboidrato, não adianta apelar para alimentos com proteína, pois eles podem deixar a pessoa mais irritada e impaciente. Segundo Brigid McKevith, da Fundação de Nutrição Britânica, o efeito de uma dieta que produz serotonina ainda não está claro.
“Vale lembrar que muitos alimentos consumidos com bastante freqüência – como leite, feijão e até batatas – possuem tanto carboidrato quanto proteína”, disse ela.

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/



Como evitar uma má digestão by Ariana Dêgelo
outubro 22, 2008, 1:24 pm
Filed under: Alimentação | Tags: ,

Estômago pesado e sensação de mal-estar após as refeições?
Esses sintomas podem indicar uma má digestão dos alimentos. Adotar algumas medidas simples no dia-a-dia pode auxiliar na prevenção deste problema.
Alimentos ricos em gordura demoram mais para se deslocar do estômago para o intestino delgado. É por esse motivo que sentimos saciedade por mais tempo quando ingerimos alimentos com uma quantidade razoável de gordura.
Esta característica da digestão dos alimentos ricos em gorduras também aumenta os riscos de uma má digestão, quando há excessos.
A eventual dificuldade para respirar, especialmente nos já obesos, é resultado da compressão do estômago cheio sobre o diafragma, músculo cujo movimento promove a entrada e saída de ar dos pulmões.
Pessoas que têm o hábito de comer porções generosas de comida à noite, antes de dormir, correm riscos de ter problemas de má digestão porque durante o sono a digestão se torna mais lenta.

Algumas dicas:
– Faça refeições regulares
– Alimente-se em ambientes tranqüilos
– Coma devagar, mastigando bem os alimentos
– Coloque alimentos de todos os grupos alimentares no seu prato (proteínas, carboidratos, gorduras, fibras, vitaminas e sais minerais)
– Evite frituras e alimentos ricos em gordura
– Evite beber líquidos demais durante as refeições
– Evite comer grandes porções de comida, principalmente as gordurosas antes de ir se deitar.