Fique10


19 DE MAIO – DIA MUNDIAL DAS HEPATITES by editorfique10
maio 19, 2010, 3:37 pm
Filed under: Dicas importantes | Tags: ,

Mais conhecida como Amarelão, a hepatite é atualmente uma das doenças de maior incidência no mundo. Por isso, dia 19 de maio é o dia da luta contra este problema. “Essa doença consiste na inflamação do fígado, de maneira que compromete suas funções e provoca algumas anormalidades”, afirma Paulo Abrão Ferreira, coordenador do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Bandeirantes, do Grupo Saúde Bandeirantes, em São Paulo, e do ambulatório de infectologia da UNIFESP.

Entre as anormalidades, destaque para a icterícia, que é o acúmulo de bilirrubina – pigmento esverdeado usado pelo fígado para produzir bile e ajudar na digestão de gorduras e funcionamento do intestino –, o qual faz com que a pele e as mucosas fiquem amareladas. Assim, quando a pessoa está com hepatite ocorre uma dificuldade de metabolização e eliminação da bile para o intestino. Outra consequência da doença é a dificuldade na eliminação de substâncias tóxicas e na fabricação de proteínas. Além disso, a hepatite, ao longo dos anos, pode dar origem à cirrose, estágio final da inflamação no fígado que destrói as células, forma fibrose (tecido de cicatrização que não tem a função das células saudáveis), nódulos (outra tentativa frustrada do organismo para realizar as funções das células sadias) e impede que o sangue circule livremente pelo fígado.

Mas, afinal, como se adquire a hepatite? São vários fatores que podem causar a doença, o que faz com que o tratamento e as consequências variem de acordo com cada caso. “A hepatite pode ser auto-imune, no caso do sistema imunológico classificar seus próprios tecidos como estranhos, atacando-os para destruí-los; também pode ser causada por ingestão exagerada de álcool, medicamentos e drogas, visto que é no fígado que essas substâncias são processadas; ou pode ser viral (adquirida através de vírus)”, diz o infectologista.

As hepatites virais, as mais comuns, são classificadas em A, B e C. A do tipo A, conhecida como hepatite do viajante, é transmitida por via oral devido a ingestão de água e alimentos contaminados, no caso de contato com as fezes humanas, sendo comum quando o saneamento básico é precário. Para evitar a contaminação existe vacina apropriada. Quando adquirida, os sintomas começam a aparecer após cerca de 30 dias, sendo que os iniciais são mais amenos, como fadiga, o mal-estar, falta de apetite, náuseas, vômitos, febre baixa, desconforto na região do abdome e diarréia. Em 60% dos adultos e em 25% das crianças é comum a icterícia. Não é considerada uma hepatite grave e seu índice de mortalidade é muito baixo. Não há um tratamento específico, de maneira que a melhor forma de evitá-la é através da higiene e da vacinação.

Já a hepatite B é transmitida sexualmente ou via sangue (transfusão e uso de drogas ilícitas), agulhas, materiais cortantes contaminados como na colocação de piercings e no processo de realização de uma tatuagem, em tratamentos dentários, alicates de manicures e até mesmo em sessões de depilação. “A doença pode se tornar crônica em 15% dos casos, sendo que dessa porcentagem cerca de 25% a 40% podem evoluir para a cirrose”, revela Ferreira. Seus sintomas se aproximam da hepatite do tipo A e podem ser manifestados após um período de 90 dias. Como prevenção da doença recomenda-se o uso de preservativo nas relações sexuais assim como materiais cortantes e agulhas esterilizadas ou descartáveis. Também são indicadas as três doses da vacina de hepatite B e reforço a cada 10 anos.

A hepatite C, considerada pela Organização Mundial de Saúde o maior problema de saúde pública, é a responsável pela maioria dos transplantes hepáticos, já que estima-se que 3% da população mundial esteja contaminada, atingindo níveis dez vezes maiores no continente africano. Essa transmissão, que ocorre mais facilmente do que a AIDS, geralmente acontece através de acidentes profissionais, transfusão de sangue e injeção compartilhada de drogas ilícitas de pessoas que têm o sangue ou secreção contaminados pelo vírus HCV.

Diferente dos sintomas das hepatites A e B, a maioria dos casos de hepatite C não apresenta sintomas na fase aguda ou, quando eles se manifestam, são muito leves. “O alerta para a doença se faz necessário, visto que mais de 80% das pessoas contaminadas chegam a desenvolver hepatite crônica e só descobrem o problema através de exames pedidos por outros motivos”, complementa. Todos os indivíduos que já apresentaram fatores de exposição ao vírus devem solicitar ao médico que peça o exame específico para o diagnóstico, pois a doença tem um longo período sem sintomas. Em alguns casos, a doença aflora e é percebida décadas após a contaminação, através das complicações: cirrose em 20% e câncer de fígado em 20% dos casos com cirrose. Por isso, a prevenção é imprescindível e pode ser feita com o uso de materiais cortantes esterilizados ou descartáveis, pois não existe vacina para a hepatite C. “O período de incubação do vírus da hepatite C é de 45 dias. Esta doença tem tratamento com interferon peguilado e ribavirina, com chance de cura completa em cerca de 50% dos casos. Possuem melhores respostas ao tratamento os pacientes com idade inferior a 40 anos, do sexo feminino, mais magros”, finaliza o infectologista.

É fundamental a prevenção, diagnóstico precoce e tratamento especializado das hepatites para evitar complicações futuras.

Anúncios


OS PRÓS E OS CONTRAS DO SOL by editorfique10
março 2, 2010, 2:32 pm
Filed under: saúde | Tags: , , ,

OS PRÓS E OS CONTRAS DO SOL

Viva em paz com aquele que é ao mesmo tempo amigo e inimigo da saúde

Foi dada a largada para o verão: as altas temperaturas já chegaram, as roupas estão mais curtas, as praias e clubes lotados e a escolha de onde passar as férias já está sendo feita. É hora também de pensar naquele que é ao mesmo tempo amigo e inimigo da nossa saúde, o sol. Depende apenas de nós escolher qual lado ele deve ficar.

A exposição solar desencadeia a produção de vitamina D no organismo e potencializa a absorção de cálcio e fósforo. Sendo assim, fortalece os ossos e os dentes e previne o câncer de mama, já que pesquisa realizada pelo Imperial College de Londres sugere que essa vitamina pode interromper a progressão da doença. Mas nem por isso devemos abusar. “Aquela regra básica de evitar o sol entre 10h e 16h vale cada vez mais. É fundamental também o uso de fotoprotetor com FPS acima de 20”, diz o dermatologista Agnaldo Augusto Mirandez, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia e diretor da clínica Perfetta (SP).

Pessoas com peles mais claras são mais vulneráveis à radiação solar, então os cuidados devem ser redobrados. Lembre-se sempre de aplicar o protetor solar meia hora antes da exposição, reaplicá-lo a cada 2 horas ou após suar ou mergulhar e usar roupas e acessórios – chapéus, óculos escuros e guarda-sol – para se proteger. “Essas recomendações valem também para as pessoas negras”, afirma Mirandez, que é contra os bronzeadores ou aceleradores de bronzeamento. “É melhor não usar esses produtos, evitando assim manchas, ardor e queimaduras. As opções mais seguras são os fotoprotetores/bloqueadores”, completa.

Mas como conquistar aquele belo bronzeado que todo brasileiro – em especial as mulheres – quer ter? Além de tomar sol seguindo as recomendações já citadas, a dica é usar alimentos ricos em betacaroteno, como batata doce, cenoura, abóbora, acerola, brócolis, rúcula, beterraba e mamão. No organismo o nutriente forma a vitamina A e reforça a coloração do bronze. Não há quantidade estabelecida oficialmente, mas acredita-se que o equivalente a 5 porções por dia dos alimentos citados sejam suficientes para as necessidades diárias.

Sol inimigo?

O sol pode ser, sim, inimigo da nossa saúde. Ele pode causar desde pequenos problemas – como a perda de líquido que ocasiona, por exemplo, fadiga, tontura e dor de cabeça – até os mais graves – como o câncer de pele, que atinge anualmente cerca de 115 mil pessoas no Brasil, segundo estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Surgimento de herpes labial, alergias, inflamação da córnea e degeneração da retina são outros problemas causados pelo sol, além do envelhecimento precoce. “As radiações ultravioletas (UVA) estimulam a produção de radicais livres e destroem as fibras elásticas e colágenas, acelerando a perda de contorno e firmeza da pele. Sendo assim, o sol é um dos causadores das rugas e flacidez”, afirma o dermatologista.

Dicas extras:

– Os protetores em gel mostraram-se mais eficazes em estudo controlado, realizado aqui no Brasil. A seguir vêm as loções (os sprays estão nesta categoria) e, por último, os cremes;

– Lembre-se de usar protetor labial (aplicar a cada 2 horas);

– Se ocorrer queimaduras na pele, use loções hidratantes. Evite preparados com anestésicos, pois podem causar alergias. Caso a queimadura seja de grande intensidade, procure um médico;

– A combinação de sol e frutas cítricas – como limão e laranja – pode ter resultados desagradáveis, que vão de manchas na pele a queimaduras de segundo grau;

– Fique atento a alterações na pele. Detectar uma lesão maligna a tempo pode evitar problemas maiores;

– Beba 2 litros de água por dia e evite praticar exercícios intensos nos dias quentes.

Contato do especialista: www.dermatologiaperfetta.com.br



DOENÇAS GENGIVAIS PREOCUPAM MÉDICOS E DENTISTAS by editorfique10
dezembro 15, 2009, 3:53 pm
Filed under: Dicas importantes | Tags: , ,

Cerca de 3 em cada 4 pessoas sofrem de doenças periodontais

Gengivas avermelhadas, mau hálito, sangramento espontâneo ou durante a escovação dos dentes. Esses são alguns sinais que indicam problemas periodontais e com certeza exigirão de você outros cuidados com sua gengiva. Mais comum do que se imagina, as doenças periodontais atingem 3 em cada 4 pessoas e estão divididas em dois grupos: gengivites e periodontites.

A gengivite é causada pelo acúmulo de placa bacteriana sobre o tecido gengival. Essa placa nada mais é do uma película transparente, que fica acumulada sobre os dentes e ao redor das gengivas. Essas bactérias promovem a decomposição dos restos alimentares e produzem ácidos que “atacam” dentes e gengiva. Caso não seja retirada rapidamente, essa placa bacteriana pode se materializar com o tempo, se transformar em tártaro e promover a destruição das fibras gengivais, comprometendo a estrutura óssea que sustenta os dentes. Quando isso acontece, a pessoa apresenta a segunda doença periodontal: a periodontite.

Bem mais difícil de ser tratada, a periodontite afeta todos os tecidos periodontais e ocasiona uma destruição do osso e do ligamento que sustenta o dente. Como não causa dor, muitas vezes as pessoas só vão se dar conta que estão com a doença quando notam que o dente está “mole”, a ponto de cair. Outros sinais claros da doença são: mau hálito, sensibilidade ao frio, dentes com raízes expostas, dente descolado da gengivas, presença de pus ao redor da gengiva, inflamação extensa, perda óssea e presença de bolsas periodontais. “Os fumantes devem ficar de olhos bem abertos, pois o cigarro é uma das principais causas de periodontite e como a nicotina inibe o sangramento da gengiva, o diagnóstico é mais difícil”, alerta do dentista Sandro Moreno.

Estudos mostram que a periodontite pode ser um dos fatores que ajudam a causar doenças cardíacas, diabetes, doenças respiratórias e osteoporose. Veja abaixo algumas dicas para evitar essas doenças:

  • Escove os dentes pelo menos 2 vezes ao dia;
  • Utilize enxaguatórios bucais. Eles auxiliam no controle e redução da formação de placa bacterianas;
  • Coloque a escova de forma que os filamentos se introduzam no sulco gengival;
  • Escove todas as superfícies, pelo lado de fora (dos lábios) e pelo lado de dentro (da língua). Realize pequenos movimentos de baixo para cima;
  • É também necessário limpar os espaços entre os dentes utilizando fio dental pelo menos uma vez ao dia. Eles removem a placa bacteriana e os alimentos entre os dentes e abaixo das gengivas, onde a escova não alcança.


MULHERES ESTÃO MORRENDO MAIS POR PROBLEMAS CARDÍACOS by editorfique10
abril 24, 2009, 4:20 pm
Filed under: saúde | Tags: , , ,
Estudos afirmam que índice de doenças no coração está crescendo no sexo feminino; segundo o cardiologista Dr. Hélio Castello, rotina estressante no trabalho é uma das principais causas

No mundo mais de 17 milhões de pessoas morrem por ano vítimas de doenças cardiovasculares. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS), que relata ainda que esses problemas representem a maior causa de mortes no Brasil, com cerca de 360 mil casos anuais. E as mulheres ganham cada vez mais espaço dentro dessa estatística. Atualmente, cerca de 30% dos casos de infarto têm mulheres como vítimas. Estudos constatam que elas têm uma chance maior de morte depois de instalado o Infarto. “No Brasil, mais de 200 mulheres morrem por dia vítimas de Infarto, sendo as doenças cardiovasculares a principal causa de morte nelas, assim como nos homens, chegando a matar seis vezes mais que o câncer de mama, onde temos campanhas já bem estabelecidas”, afirma o cardiologista Dr. Hélio Castello, diretor da Angiocardio.

 

Segundo o médico, elas estão a cada ano mais expostas ao risco, pois cerca de 40% apresentam aumento da cintura abdominal, mais de 20% fumam, 18% são ex-fumantes, 23% têm seus níveis de pressão arterial acima do preconizado e 21% possuem alteração dos níveis de colesterol, além de que as mulheres estão cada vez mais inseridas no mercado de trabalho e, portanto, acumulam o estresse do trabalho com o dos cuidados da família, comprometendo em muito a qualidade de vida. Quanto ao cigarro, ele alerta sobre os males que esse comportamento traz ao organismo. “A nicotina vicia e o monóxido de carbono contribui para diminuir o calibre dos vasos sanguíneos, dificultando a passagem do sangue. A falta de atividade física regrada, a bebida e alimentos não saudáveis como os de fast-foods, que possuem altos índices de colesterol, contribuem no entupimento das artérias coronárias. É o cenário perfeito para um infarto ou um derrame”, alerta o cardiologista.

 

Existem alguns fatores que agravam a instalação da doença do coração nas mulheres que seriam: a associação da pílula anticoncepcional com o cigarro, que representam uma das maiores causas de Infarto em mulheres jovens, em idade fértil, aumentando o risco delas em até cinco vezes. As pílulas produzem artificialmente um estrogênio semi-sintético, que pode elevar a formação de coágulos nas artérias e veias, interrompendo a irrigação do músculo cardíaco e levando-o ao infarto. Também cresce a chance de doenças vasculares periféricas, como varizes, tromboses e até o AVC (acidente vascular cerebral), conhecido como derrame; o fato das mulheres possuírem vasos menos calibrosos e, geralmente, desenvolverem estas doenças em idades mais avançadas dificultam o tratamento; e, além disso, os sintomas às vezes são mais insidiosos e, portanto, dificultam o diagnóstico.

 

As mulheres costumam sofrer mais risco de terem problemas cardíacos na maturidade, a partir dos 40 anos, mas principalmente após os 50, quando chegam à menopausa. A partir desse período, diminui a produção do estrogênio, um protetor da saúde feminina. “Os hormônios estrogênios são fabricados pelo próprio corpo da mulher e são grandes aliados do coração, porque estimulam a dilatação dos vasos, facilitando o fluxo sanguíneo. Após a menopausa, a proteção hormonal oferecida pelo estrogênio, que é produzido pelos ovários começa a cessar, aumentando as chances de doenças cardiovasculares”, explica o Dr. Hélio Castello.

 

O sintoma mais comum de quem é portador de doença cardíaca é a dor no peito, ocorrendo em cerca de 80% das pacientes. “É uma dor no meio do tórax, como um aperto, que tem intensidade e duração variadas”, indica Castello. “Ela pode irradiar-se para o braço esquerdo, pescoço e até para a mandíbula. Outros sintomas que podem ocorrer, mas que são mais raros, são a fadiga, falta de ar, palpitações e desmaios. Algumas pessoas nem apresentam tais sintomas, mas também podem ter o problema”, completa o diretor da Angiocardio.

 

Apenas um diagnóstico médico pode constatar o problema, mas algumas medidas podem ser tomadas para evitá-lo. Para o Dr. Hélio Castello, cortar os maus hábitos alimentares e comportamentais, e começar a praticar outros mais saudáveis é primordial. “Além de evitar o cigarro, é fundamental realizar exames de colesterol e pressão arterial a partir dos 30 anos de idade pelo menos. O controle da alimentação, aumentando o consumo de frutas, legumes e verduras, melhora a saúde e ajuda a controlar o peso, estes hábitos nós deveríamos ter e multiplicar inclusive para nossos filhos, para que eles cresçam em situação melhor. O consumo excessivo de sal e bebidas também devem ser evitados. Fazer exercícios também é importante. Uma caminhada de 30 minutos, por exemplo, é ótima e ajuda no condicionamento e na queima das calorias que ajudam a entupir os vasos sanguíneos”, finaliza. Mas segundo o especialista, consultar um médico e fazer check-ups periodicamente são as melhores formas de se evitar ou tratar o problema.

 

Divulgação: Rojas Comunicação

(11) 3675-4940 / 3873-6261



IMPORTÂNCIA DA ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE by editorfique10
abril 15, 2009, 9:14 am
Filed under: Dicas importantes | Tags: , , , ,

Pesquisas mostram que a expectativa de vida está aumentando. Até 2020, nosso país deverá ter a sexta maior população de idosos do mundo. Mas sabemos que conforme os anos vão passando, problemas de saúde podem aparecer. Hábitos alimentares equivocados e a falta de atividades nessa fase acabam causando várias mudanças no corpo. As principais são:

– Aumento na quantidade de gordura no organismo;
– Diminuição da força muscular;
– Osteoporose;
– Enfraquecimento de ligamentos e tendões;
– Diminuição dos reflexos de ação e reação;
– Diminuição da coordenação e habilidade motora;
– Perda de equilíbrio, sujeitando a quedas e conseqüentemente fraturas;
– Aumento da incidência de doenças, como a hipertensão, câncer e diabetes.

Praticar algum tipo de atividade física, juntamente com uma alimentação apropriada, melhora e muito a qualidade de vida dos idosos, pois ajudam a reduzir ou mesmo eliminar alguns desses problemas.

Como voltar a se exercitar:

O começo pode ser difícil, mas não desanime. Faça do exercício um hábito. Inicie devagar, aumentando a intensidade gradualmente. Períodos de 30 minutos já são suficientes e dão resultado. Eles melhoram a movimentação das articulações, a flexibilidade, diminuem a tensão articular, aumentam a força e a resistência dos membros, além de eliminarem o desânimo e o estresse. Os sistemas cardiovascular e respiratório também serão beneficiados.
Tente praticar de duas a três vezes sessões durante o dia, até seu condicionamento melhorar. O que importa é se exercitar. Algumas atividades que você pode escolher são:

– Caminhada;
– Andar de bicicleta;
– Natação e Hidroginástica;
– Dançar;
– Pilates e Ioga.

Exercícios musculares também são fundamentais. Especialistas os apontam como a prática perfeita para as pessoas da terceira idade. Eles combatem a perda de massa muscular e fortalecem os ossos, combatendo a osteoporose. Além disso, a musculação age na prevenção de problemas posturais e de coluna. Ajuda também a estabilizar a pressão arterial, sendo uma das melhores armas contra a hipertensão, o colesterol e a diabetes. Mas o ideal é ter um programa adequado a sua condição física. Procure um especialista. Ele vai te avaliar e indicar os melhores programas e os aparelhos adequados para os exercícios.

Se quiser praticar os exercícios em casa, um dos programas mais fáceis e versáteis é o Elastiness. Produzido pela Cepall, é capaz de oferecer 15 tipos possíveis de exercícios e alongamentos, que podem ser feitos no trabalho, na viagem, no lar, ou quaisquer outros lugares escolhidos. É um aparelho feito com material elástico que fortalece e modela os músculos dos braços, ombros, peito, pernas e glúteos.

Dicas para melhorar e animar se programa de atividade física:

– Verifique seu estado de saúde com um profissional médico. Caso tenha problema de saúde crônico, pergunte qual tipo de atividade física é o mais adequado a você;
– Use roupas e calçados confortáveis e apropriados à atividade física que estiver fazendo;
– Caso sentir algum incômodo, interrompa a atividade física e consulte um médico;
– Coma alimentos nutritivos. Faça um seleção balanceada, com cereais, proteínas, legumes e frutas. Alimente-se a cada três horas e ingira bastante líquidos por dia;
– Não se esqueça do alongamento antes e depois de suas sessões. Isso evita lesões musculares;
– Traga amigos ou parentes para suas práticas. Eles vão te apoiar e fazer com que tudo se torne mais agradável. Ou se preferir, faça atividades em lugares públicos. Assim você conhece pessoas e faz amigos. Isso melhora sua auto-estima, confiança e humor. A dança e a hidroginástica são bons exemplos.

Lembre-se que nunca é tarde para começar. Dificuldades vão existir, mas são iniciais e podem ser superadas pela experiência e sabedoria que você adquiriu ao longo da vida. Os benefícios para o corpo e a mente serão ótimos para que sua aposentadoria seja mais leve e agradável.

Há todo um caminho pela frente e nada melhor que percorrê-lo com disposição, alegria e saúde. Procure um especialista que lhe indique os melhores exercícios, faça uma avaliação física e mãos à obra!

Divulgação: Rojas Comunicação
(11) 3675-4940 / 3873-6261

Conheça também a linha de aparelhos de ginástica da Cepall e o kit para montar usa academia em casa.



Sedentarismo by Ariana Dêgelo
dezembro 12, 2008, 1:42 pm
Filed under: Treinos de Exercícios | Tags: , , , ,

O sedentarismo é definido como a falta ou a grande diminuição da atividade física, na realidade, o conceito não é associado necessariamente à falta de uma atividade esportiva. É Indiretamente causa de 70% das internações hospitalares no Brasil. Números que a princípio impressionam, mas, depois de uma rápida reflexão, compreende-se a questão. Falta de tempo, correria, estresse, má alimentação, todos estes são problemas um tanto simples no cotidiano, mas um combustível potente contra a saúde.

Do ponto de vista da Medicina Moderna, o sedentário é o indivíduo que gasta poucas calorias por semana com atividades ocupacionais. Para deixar de fazer parte do grupo dos sedentários o indivíduo precisa gastar no mínimo 2.200 calorias por semana em atividades físicas.

O sedentarismo é a principal causa do aumento da incidência de várias doenças. Hipertensão arterial, diabetes, obesidade, ansiedade, aumento do colesterol, infarto do miocárdio são alguns dos exemplos das doenças às quais o indivíduo sedentário se expõe. O sedentarismo é considerado o principal fator de risco para a morte súbita, estando na maioria das vezes associado direta ou indiretamente às causas ou ao agravamento da grande maioria das doenças.

Porém, toda ansiedade por ficar em forma e manter uma vida saudável pode acabar prejudicando ao invés de ajudar. Fazer o exercício físico de forma errada, exceder na carga e nas repetições e a falta de uma orientação profissional podem ser fatais ao músculo mais importante do corpo, o coração. Um coração não condicionado submetido ao estresse pode ser atingido por uma alteração cardiovascular grave gerando um infarto.

A vida nos grandes centros urbanos com a sua automatização progressiva, além de induzir o indivíduo a gastar menos energia, geralmente impõe grandes dificuldades para ele encontrar tempo e locais disponíveis para a prática das atividades físicas espontâneas. A própria falta de segurança urbana acaba sendo um obstáculo para quem pretende fazer atividades físicas. Diante dessas limitações, tornar-se ativo pode ser uma tarefa mais difícil, porém não de todo impossível.

Aumentar o gasto calórico semanal pode se tornar possível, simplesmente reagindo aos confortos da vida moderna. Subir 2 ou 3 andares de escada ao chegar em casa ou no trabalho, dispensar o interfone e o controle remoto, estacionar o automóvel intencionalmente num local mais distante, dispensar a escada rolante no shopping center, são algumas alternativas que podem compor uma mudança de hábitos.

Segundo trabalhos científicos recentes, praticar atividades físicas por um período mínimo de 30 minutos diariamente, contínuos ou acumulados, é a dose suficiente para prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida.

A principal recomendação para fazer exercício com segurança é seguir o bom senso e praticar exercícios como um hábito de vida e não como quem toma um remédio amargo. A principal orientação é fazer exercícios com prazer, sentindo bem-estar antes, durante e principalmente depois da atividade física. Qualquer desconforto sentido durante ou depois de exercícios deve ser adequadamente avaliado por um profissional da especialidade. O exercício não precisa e não deve ser exaustivo se o propósito for à saúde.

Praticando exercícios com maior segurança e efetividade:

  • Usar roupas adequadas: A função da roupa durante o exercício é proporcionar proteção e conforto térmico. Agasalhos que provocam aumento excessivo da sudorese devem ser evitados porque provocam desconforto e desidratação, não exercendo nenhum efeito positivo sobre a perda de peso.
  • Hidratar-se adequadamente: Deve-se ingerir líquidos antes, durante e depois de exercícios. A perda excessiva de líquidos e a desidratação constituem a principal causa de mal-estar durante o exercício.
  • Sentir bem-estar: Escolha a modalidade e sobretudo a intensidade de exercício que traga prazer e boa tolerância. Ao fazer exercícios prolongados ajuste a intensidade que permita sua comunicação verbal sem que a respiração ofegante prejudique sua fala. Esta é uma forma prática de ajustar uma intensidade adequada.

Consulte seu médico: Qualquer dúvida ou desconforto procure orientação profissional. Realizar uma avaliação física para elaboração de um programa de treinamento será uma atitude de grande utilidade prática. Não se deixe levar por propagandas muitas vezes enganosas prometendo resultados milagrosos com outros recursos recomendados para substituir os benefícios do exercício ativo.

Fontes:

Site Emedix – Asinado por Dr. Turíbio Leite Barros Leite http://www.emedix.com.br/artigos/mes001_1f_sedentarismo.shtml#texto1

Site Jornal do Tocantins – Assinado por Émerson Alencar – dia 11 de Janeiro de 2004 http://www2.jornaldotocantins.com.br/anteriores/11jan2004/brasil/2.htm



Saiba mais sobre a ginástica laboral by Ariana Dêgelo
dezembro 12, 2008, 1:31 pm
Filed under: Ginástica Laboral | Tags: , , , ,

O que é ?

A Ginástica Laboral analisa a importância da reeducação postural, alívio do estresse e método de Ginástica laboral no local de trabalho com finalidade de valorizar a prática das atividades física como instrumento de promoção de saúde e prevenção de lesões como LER (Lesões por Esforços Repetitivos) e DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho). A Ginástica Laboral trata-se de um conjunto de práticas elaboradas a partir da atividade profissional exercida. A técnica procura compensar as estruturas do corpo mais utilizadas durante o trabalho e ativar as que não são requeridas, relaxando e as tonificando.

Histórico

Sobre a Ginástica Laboral a primeira notícia que se encontra é uma pequena brochura editada na POLÔNIA em 1925, onde foi chamada também de Ginástica de Pausa, era destinada a operários e alguns anos depois surgiu na Holanda e Rússia.

No início dos anos 60 surgiu também na Bulgária, Alemanha, Suécia e Bélgica. No Japão na década de 60 ocorreu a consolidação e a obrigatoriedade da G.L.C. – Ginástica Laboral Compensatória.

No Brasil o esforço pioneiro residiu numa proposta de exercícios baseados em análises biomecânicas.

Esta proposta foi estabelecida pela Escola de Educação de FEEVALE no ano de 1973, quando se elaborou o projeto de educação física compensatõria e recreação.

Justificativa

Apesar da inclusão de novos nomes na lista das doenças ocupacionais, divulgada pelo Ministério da Previdência e Ação Social, as principais moléstias responsáveis pelo afastamento precoce de pessoas do mercado de trabalho continuam sendo as LESÕES POR ESFORÇOS REPETITIVOS (LER) e a perda de audição.

O afastamento do trabalhador acometido por uma doença ocupacional de sua função traz perdas para a empresa e para o trabalhador. Segundo o coordenador de Benefícios por Incapacidade do Ministério da Previdência, Cézar Augusto de Oliveira, mesmo com o afastamento do funcionário, a empresa tem que recolher as contribuições sociais, além de providenciar outra pessoa para ocupar o cargo do afastado. Se o trabalhador resolve processar a empresa, os custos podem ser ainda maiores. Já o trabalhador afastado pode perder vantagens que uma pessoa que está na ativa, como promoções e aumento de salário.

Para evitar problemas como esses, o médico do trabalho Ruddy Facci, do Paraná, recomenda a prevenção. Ginástica, pausas no trabalho e mobiliários ergonômicos são programas que se adotados reduzem em 100% as chances de se contrair uma doença ocupacional.

Diagnóstico

O trabalho excessivo, postura inadequada, repetições constantes do mesmo movimento e condições crítica de materiais, equipamentos e instalações da empresa, desencadeiam grandes tensões no corpo, que originam grandes males que são responsáveis pelo afastamento ou até invalidez permanente do profissional.

Diagnosticados estes fatos como : LER (Lesões por Esforços Repetitivos), nome dado pelos especialistas´à sintomas que acometem tendões, músculos, nervos, ligamentos e outras estruturas responsáveis pelos movimentos dos membros superiores, das costas, região do pescoço, ombros e membros inferiores. atualmente denominada DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho), ambas as siglas representam as mesmas patologias que são causa de despesas médico-ocupacionais nas empresas. Do ponto de vista psicológico, na Educação Física (uma atividade repetitiva e igual por muito tempo, como um trabalho industrial). cessa a chegada de estímulos ao cérebro pelo cansaço das vias respiratórias. A conseqüência é a falta de atenção, caminho direto para o acidente de trabalho e a baixa produtividade.

Benefícios

§ Pesquisas revelam que as empresas que promovem a realização de exercícios orientados declaram terem verificado aumento de produtividade, e os trabalhadores garantem que terminam a jornada menos cansados do que antes de ser adotada essa medida;

§ Compensação das estruturas mais utilizadas durante o trabalho e ativar as que não são requeridas, relaxando-as e tonificando-as;

§ Amenizar e acabar com o stress, diminuir a ansiedade e depressão;

§ Diminuir e acabar com o sedentarismo e melhorar a auto-imagem;

§ Relaxar e diminuir a tensão, melhorar a qualidade do sono;

§ Aumentar: a flexibilidade, a força, a coordenação, o ritmo, a agilidade e a resistência;

§ Fortalecer o relacionamento social e trabalho em equipe;

§ Reduzir o afastamento por LER e DORT.

Fonte: Personal Trainning Prof. Kiko